Arquivo para volta ao trabalho

O Menor Mês do Ano.

Posted in Viagens with tags , , on 06/08/2012 by Kilminster

Fevereiro?  Que nada, o menor mês do ano é o seu mês de férias, seja ele qual for.

Impressionante como ele passa rápido e você não consegue fazer tudo que queria ter feito, nem descansar tanto quanto gostaria de ter descansado. Foi um mero piscar de olhos e já chegou o dia de voltar.

Pode comparar, um mês entre um salário e outro demora muito mais a passar, já as férias…

Aí a volta é um martírio. Até entrar no ritmo, se adaptar, tomar pé do que está acontecendo, absorver mudanças, lembrar senhas de sistema, ler e-mails atrasados… Ao fim de uma semana, você já está mais cansado do que estava antes de sair.

Enfim, este é o triste destino daqueles que não são rockstars, apresentadores de programa de turismo e ganhadores da mega-sena.

E tome mais um ano de trabalho árduo.

Voltando das Férias

Posted in Viagens with tags , on 13/08/2010 by Kilminster

Quando é que a legislação vai determinar que a volta das férias deve ser feita em doses homeopáticas, hein? Porque sinceramente, sair do estado de felicidade geral que as merecidas férias proporcionam direto para a loucura do trabalho não dá.

Devia ter alguma coisa, sei lá, uma espécie de quarentena, tipo a gente ficar apartado da equipe realizando pequenas tarefas sem tanta importância por alguns dias antes de sermos recolocados no convívio com a maluquice habitual da empresa.

Ou quem sabe a primeira semana ser de trabalho em progressão gradual de horas. Duas horas na segunda, três na terça, quatro na quarta, e assim sucessivamente até atingir as oito horas.

Dizem que o corpo humano leva mais ou menos 15 dias para se adaptar a uma rotina, então os primeiros dias de férias servem para o cidadão se adaptar ao descanso.

Sugiro então que nos dias que antecedem as férias o procedimento acima seja realizado ao inverso, reduzindo a jornada aos poucos até que o dia das tão esperadas férias cheguem.

Mas a volta é que é o problema. Você chega em clima de paz e amor e todos os seus colegas estão acelerados. Você entrega um chaveirinho de berimbau para seu chefe e ganha uma pilha de papel para ser analisado. Não há quem consiga lidar com isso de forma não traumática.

E a perguntinha “Descansou?” seguida por “Ótimo, porque aqui o negócio está pegando fogo”.

Aí lá vai você trabalhar mais onze meses para poder fazer alguma coisa legal nas férais.

Quarta-Feira de Cinzas.

Posted in Olhares, Viagens with tags , , on 17/02/2010 by Kilminster

Aí temos que trabalhar na quarta-feira de cinzas. Tradicionalmente é porque deveríamos passar na igreja pela manhã para pegar a benção do padre para nos purgarmos dos excessos carnavalescos. O padre fazia lá seu ritualzinho, a missa e traçava uma cruz de cinzas na testa dos fiéis.

Hoje acho difícil que alguém faça isso, até porque se tivermos a chance de dormir um pouquinho mais antes de voltar ao trabalho, especialmente para quem se esbaldou na folia por quatro dias, dormiremos. E quem não se entregou aos folguedos de Momo, não tem nada que ir pedir perdão na Igreja.

Mas eis que a tradição é preservada e vamos todos nós lá trabalhar depois do meio dia. Alguns chegam com a cara mais inchada do mundo, com a cabeça doendo, o estômago meio virado e em casos extremos, com alguns confetes ainda presos no cabelo. Outros chegam dispostos, mas não dispostos a trabalhar. A maioria vai ficar comentando o que fez, para onde viajou, o que aconteceu e blá blá blá.

O chefe então, este sim. Chega depois de todo mundo, com uma cara péssima e se tranca em sua sala só para não dar o braço a torcer de que também aproveitou o feriado, afinal de contas ele está ali para convencer a todos que o bom mesmo é trabalhar. Bom pra quem?

Pode parecer pentelho ter que trabalhar meio período, mas no fundo não seria nada mal que toda volta de feriado fosse assim. Pra ir adaptando aos poucos.