Arquivo para restaurante

Almoço No Quilão

Posted in Olhares with tags , , on 28/02/2012 by Kilminster

Você que como eu, por uma razão ou outra, acabou tendo que viver a estúpida vida de adulto, inevitavelmente caiu ou vai cair na rotina de almoçar no quilão.
Com a modernização das empresas, o espaço para esquentar e comer a marmita ficaram legados a um passado distante e romântico, acabando substituído pelo famigerado Vale-Refeição e os inefáveis restaurantes a quilo.
Mais baratos e rápidos que restaurantes a La Carte, os quilões são barulhentos, cheios e suas pistas apresentam opções de cardápio para os mais diversos gostos. Desde os trabalhadores mais glutões, passando pelas moças, (sempre), tentando emagrecer, até vegetarianos, todos conseguem fazer suas refeições em um destes incríveis estabelecimentos.
No menu tudo o que você pode imaginar. Começa pela pista de saladas que sempre tem maionese de batatas que pesa no prato que é uma beleza, depois alface e agrião, queijo, presunto, tomate, beterraba e cenoura raladas, acelga, (porque não murcha), batatinhas no vinagrete e com um pouco de sorte, tomate seco.
Seguimos então aos pratos quentes, (que devem ser empilhados juntamente com as saladas em uma viagem única, pois ninguém tem tempo para ficar com frescuras). Arroz, feijão e o arroz de ontem misturado com alguma coisa. Podem ser ervilhas, milho, presunto picado ou o frango, também de ontem desfiadinho. Aí segue com algum legume refogado, berinjela a parmegiana, bifão básico, uma carne de panela com um molho estranho e filezinho de frango grelhado para os que intentam uma dieta mais saudável, (e para os enjoados também).
Conforme o dia aparecem variações. Às segundas-feiras, tem o chamado Virado à Paulista. Praticamente irresistível, mas que provoca uma sensação intensa e terrível de sono quando o cidadão retorna ao trabalho. Às terças, os restaurantes mais ousados oferecem a Dobradinha. Cruel, dobradinha. Eu não consigo encarar uma coisa dessas, mas o povo manda brasa. Quarta é dia de feijoada. Sono garantido na volta ao expediente, de novo. Ainda mais porque alguns dão aquele copinho com caipirinha. Quinta-feira é dia de massa. Aí o sangue italiano ferve, ainda mais pra nóis aqui em Sampaolo né, bello? Regime vai pro saco e o molho de tomate pra camisa. Na tão esperada sexta-feira peixe. Mas sexta também é dia de comer besteiras. Os quilões ficam mais vazios ao passo que lanchonetes, pizzarias que servem pizzas aos pedaços e o Méquidonaldis ficam lotados.
Vencida a pista, a balança. Fica sempre aquela sensação de que o peso e preço que ela indica não correspondem à realidade. E aí o tiozinho que fica lá pergunta: Vai beber alguma coisa? E é aí onde o restaurante ganha dinheiro. Sucos, refrigerantes e garrafinhas de água mineral são em geral superfaturados. E o pior, ao sair da balança, o incauto dá de cara com uma prateleira de sobremesas. Tome calorias! Alguns restaurantes mais cruéis colocam as sobremesas logo no início da pista, cobradas pelo mesmo preço do resto, por peso.
Como as moças sofrem com isso! Elas têm mais dificuldade que os rapazes para resistir aos doces, ainda mais quando estão com fome.
Cruel a vida de quilão, né? Mas quem trabalha fora em cidades grandes não tem muita escolha. Então, deu meio dia, pegue seu pratinho e entre na fila.