Arquivo para política

O “Puderrrr”

Posted in Momento Sr. Saraiva, Olhares with tags , on 25/08/2011 by Kilminster

Curioso como ainda se diz, quando alguém vence eleições para cargos do  executivo, que esta pessoa está “chegando ao poder”. É como se estivéssemos falando de um rei, imperador ou monarca de qualquer tipo.

Quando se trata de eleições notadamente democráticas, o que menos a pessoa eleita deveria almejar é o poder. Quando alguém se propõe a dirigir uma cidade, estado ou país, deveria estar mais preocupada em entender e resolver as questões pertinentes à sua esfera de governo, não em exercer poder sobre esta.

A noção de que um governante é um poderoso, (tese na qual eles de fato acreditam, assim como a maioria esmagadora dos eleitores), leva ao distanciamento histórico entre aqueles que governam e os que são governados e aos conseqüentes desmandos e todas aquelas coisas com as quais estamos infelizmente acostumados.

Mais desalentador é perceber que a sociedade está há anos-luz de reconsiderar este conceito e tratar aqueles que ocupam os cargos de governo como representantes, os quais nos devem prestar contas o tempo todo.

E para jogar a pá de cal, sabemos que governos são eleitos para administrar conflitos, sejam eles externos ou internos, e que no caso dos internos, significa conciliar interesses dos mais diversos segmentos da sociedade. Aí, desconsoladamente, descobrimos que há no mundo inteiro grupos especializados em exercer o poder sem ocupar cargos. E que conhecem bem demais a capacidade de sedução do poder.

Triste realidade…

Quem Merece Este Governo?

Posted in Momento Sr. Saraiva, Olhares with tags , , , on 04/09/2009 by Kilminster

Teoricamente os presidentes, governadores, prefeitos, deputados, senadores, vereadores e ministros estão ocupando suas respectivas posições com o intuito de representarem e executarem a vontade do povo, se não em sua totalidade, pelo menos da maioria, ou seja, daqueles que os elegeram. Desta forma deles se espera que tomem atitudes que sejam condizentes com os cargos que ocupam, tendo como meta o bem estar geral da nação e dos cidadãos.
Na prática, o que se vê é um total desmando, com os políticos envolvidos em um contínuo jogo de poder onde o que menos interessa é o tal bem estar da nação. Membros de todos os partidos, que fique bem claro: “TODOS”, usam e abusam de suas posições para enriquecerem e se perpetuarem no poder. Não existe no Brasil situação e oposição, direita e esquerda. Existem apenas os que detém o poder e os que querem tomar o poder.
Aí vem a pergunta: Quem merece este governo? E quem merecia o anterior? E o anterior? Por acaso você acha que os governos anteriores eram menos corruptos que o atual? Ou eles apenas sabiam melhor como manter os inimigos calados? Não podemos ser ingênuos a ponto de acreditar que uma rede de corrupção tão grande tenha sido montada nos últimos três anos.
Mas voltando a pergunta do título, pode se dizer que: se você trafega pelo acostamento quando o trânsito pára na rodovia, se na hora de entrar no metrô você corta a fila pelos lados, se você acha mais gostoso quando seu time ganha roubado, se não devolve quando o troco vem a mais, se você compra mercadorias contrabandeadas nos promocenters da vidas, se compra produtos receptados de roubos em feiras “do rolo”, se não faz questão de nota fiscal, se finge que está dormindo quando uma moça grávida entra no ônibus, paga um cafezinho para o guarda quando sabe que será multado, se você não dá bom dia à faxineira do escritório, aceita quando seu funileiro te oferece uma peça “mais em conta” para o carro, estaciona torto na vaga do condomínio, não segura o elevador para o vizinho que chega correndo, pára no meio da rua para cumprimentar um conhecido segurando os outros carros atrás de você ou então aceita quieto quando estas coisas acontecem ao seu lado, então você merece.
Merece porque os governos são nada mais que o retrato de uma sociedade que age desta forma. Se você aplica o famoso “jeitinho” no seu dia-a-dia, não pode estranhar que os políticos assim o façam, afinal de contas, todo cidadão é elegível, sendo assim, os eleitos são pessoas como eu e você. Ora, do cara que molha a mão do guarda para o político que paga e aceita mensalão, a única diferença é a oportunidade.
Observando o cotidiano das pessoas, seja em grandes como em pequenas cidades, seja qual for a classe social, o que vemos é sempre um tentando tirar vantagem do outro. Desta forma, só posso crer que o povo brasileiro está muito bem representado por sua classe política, ou seja, nós merecemos este governo.

Originalmente publicado aqui em 27/03/2006.