Arquivo para oráculo

Google, o Grande Oráculo.

Posted in Viagens with tags , on 10/08/2011 by Kilminster

Ninguém hoje vive sem o Google. Esta, que era pra ser uma ferramenta de busca na internet, é hoje o grande oráculo moderno. Tudo, mas tudo mesmo, que uma pessoa possa precisar, é só ir ao Google e fazer a consulta a esta entidade mágica. O Google sabe tudo. E se não sabe, sabe quem sabe.

Como já disse em outras ocasiões, este pequeno blog registra as expressões consultadas no Google que acabaram por encaminhar o consulente a esta página.

Graças a esta pequena lista, pude constatar o quão grande é a criatividade das pessoas e principalmente, o tanto de fé que elas depositam no Grande Oráculo.

O histórico de buscas do blog diz que pessoas chegaram até aqui consultando coisas bastante sui generis como “Genésio candidato”, “voz da moça do aeroporto ringtone”, “absurdos de famosos no horário político”, “coceira depois de picada de pernilongo”…

Outras pessoas têm propósitos filosóficos bastante interessantes como “no Brasil temos vuvuzelas ou berrantes de boiadeiro”, “onde a band consegue os filmes cine prive pra passar de madrugada”, “uma cronica de um sonho absurdo de uma pessoas”, “fazer uma filosofia da música revoluções por minuto”, “pessoas ficam agitada com a chuva”, “se mostrar desinteressado por ela”.

Sujeitos mais pragmáticos tentam resolver problemas e dúvidas do cotidiano: “como fazer riffs bonitos”, “por que Duff McKagan tem cicatrizes”, “pais que inventou a calça comprida”, “trabalhos prontos sobre revolução industrial”,

Pessoas enigmáticas também consultam o Google: “balança aos pulinhos”, “lanches de faculdades eles sentados na mesa”, “paracopia guitarras de fogo manera” e “porta retrato sanduíche vidro”. O que eles queriam encontrar com essas consultas, ninguém saberá!

Por aqui chegou gente usando até a expressão “эсмеральда”, assim mesmo em grego. Com muito custo, descobri que quer dizer “Esmeralda”.

Você tem um pensamento estranho? Jogue no Google, ele pode te levar a lugares nunca antes imaginados.

Foram respeitadas as grafias originais.

 

Dizei, ó Google, Grande Oráculo da modernidade!!!