Arquivo para novela

Game of Thrones e o Novelão

Posted in Olhares with tags , , , on 12/06/2013 by Kilminster

Sim, sim… Vira e mexe tropeçamos em críticas às novelas, de que é tudo a mesma coisa, de que nada muda e coisa e tal e tal e coisa.

Só que ao mesmo tempo existe um frisson danado por conta de séries de TV produzidas nos Estados Unidos, em especial Game of Thrones, ultimamente.

Mas em uma análise rápida, a vantagem de Game of Thrones é ter menos capítulos e uma produção super caprichada, porque de resto, os grandes elementos de um novelão estão lá.

Temos o lado dos bonzinhos e dos malvados, intrigas, reviravoltas…Os Lannisters milionários com sua sede de poder, os mais simples e éticos Starks, a Daenerys coitadinha em busca de vingança, a Cersei sem escrúpulos, a Sansa arrivista, o Jon Snow puro de coração, os elementos inverossímeis, (dragões e demoninhos, que podem atuar como aquele personagem novo que chega na novela cheio de segredos sobre passado dos protagonistas)… Está tudo lá.

Produção multimilionária, um tanto a mais de sexo e violência e pronto. Tá feita a festa de quem gosta de novela mas não quer admitir.

Daí, um passa na TV a cabo, em inglês com legendas e tal… O outro é feito pra dialogar desde a madame até a empregada, daí se você assiste um você é isso, se assiste o outro é aquilo e aquela discussão de sempre…

Nada contra, na verdade. Nem contra o Game of Thrones, nem contra as novelas, mas que na essência os dois são a mesma coisa, não há como negar.

Talvez o grande trunfo de GoT seja não ter uma história melosa de amor permeando tudo, mas o desenrolar da série é de novelão das 8. E dos bons!

got carminha (1)

Novelão e a Violência

Posted in Olhares with tags , , , , on 10/10/2012 by Kilminster

Assustador como temos assistido impassíveis, corroborando e até torcendo pela ascensão da violência nas novelas das 9:00.

Não sou um grande espectador de novelas, mas acompanhei os dois últimos folhetins da Globo com um pouco mais de atenção e pude observar que nessas duas tramas a violência assumiu um papel central nos protagonistas, notadamente nos ditos “mocinhos”.

Nos últimos capítulos da novela Avenida Brasil, a personagem Carminha, a vilã, vem sendo sistematicamente surrada por qualquer que seja seu antagonista em cena. Tufão, Muricy, Monalisa, tudo que é personagem achou jeito de dar uns tapas na malvada. O personagem Max também levou algumas surras durante a novela.

Na trama anterior, Fina Estampa, a personagem Griselda Pereirão não hesitava em partir para as vias de fato com sua inimiga Tereza Cristina. Foram várias cenas desse tipo.

Será que a sociedade está a ponto de aceitar que o mais correto é fazer justiça com as próprias mãos? Será que ao se sentir lesado, por quem quer que seja, um cidadão deve partir para cima do outro e resolver a coisa no tapa?

Pior, a atitude violenta por parte dos personagens bonzinhos da trama reflete o desejo da população pela a justiça “olho por olho”?

Imagine se tudo passar a ser decidido na pancada!

Obviamente que com certa freqüência temos vontade de sentar a mão em determinadas pessoas, mas os anos de civilização que nos separam da Idade Média nos impedem de fazê-lo na grande maioria das vezes.

Não é reconfortante imaginar que estamos dispostos a tal retrocesso. Qual seria o próximo passo? Duelos a tiros como no Velho Oeste Norte-Americano?

Se a arte imita a vida e/ou vice-versa, Houston, we have a problem.