Archive for the Olhares Category

Dois Gumes

Posted in Olhares on 08/08/2013 by Kilminster

E diante da certeza de que tudo seria como sempre foi, ele apontava o dedo firmemente e gritava e vociferava todos os tipos de impropérios a seus inimigos.

Verdades, meias verdades, não tão verdades eram cuspidas como fogo em direção àqueles que olhavam pasmados, às vezes sentindo o golpe, às vezes indignados por ouvir tais calúnias.

No amplo espaço da sala, sua voz reverberava forte e logo percebeu que havia ganhado adeptos. Aliados, comparsas e até desconhecidos, hipnotizados por sua fala, iam se colocando atrás dele para gritar “Isso mesmo”, “Malditos”, “Execráveis”, ao fim de cada frase sua.

Empolgado com a plateia, aumentou o tom de voz e a intensidade das acusações. Seus olhos pareciam querer saltar das órbitas e ele cuspia com cada palavra, gesticulando freneticamente, fazendo com que o suor escorresse de sua testa.

Mas em dado momento alguém reagiu. Do outro lado, um estranho passou a responder com a mesma intensidade.

Ele não reconhecia aquele inimigo, mas ficou impressionado com sua raiva e selvageria e também com a petulância de falar encima todas as vezes em que ele abria a boca.

Ele subiu o tom e seu inimigo também o fez imediatamente. Ele começou a ficar incomodado com o monte de verdades que ouvia. Aquelas acusações todas… Não estava acostumado a ser rebatido dessa maneira.

Conforme ouvia cada palavra, seu ódio aumentava e ao passo que gritava com seu oponente, sentiu o sangue subir e perdeu completamente a razão, armou o braço e desferiu o soco mais potente que podia. Sua mão se dilacerou em sangue e seu inimigo se desfez a sua frente.

Tomado de dor, viu os cacos no chão e aturdido percebeu que tinham colocado um espelho à sua frente.

Tráfego de Guarda-Chuvas

Posted in Olhares with tags , , on 01/07/2013 by Kilminster

Se você já andou por alguma rua do Centrão em dia de chuva sabe o drama que é a circulação de milhares de pessoas com seus guarda-chuvas abertos.

Urgentemente a CET precisa criar um código que regulamente o tráfego destes acessórios, que por trás da máscara de sua função primária, pode ser letal.

Seguem sugestões para regular o comportamento dos pilotos de guarda-chuvas:

1- Coberturas e marquises devem ser cedidas às pessoas sem guarda-chuva.

2- Pilotos não devem cobrir a visão com seu guarda-chuva, se for necessário por conta da direção da precipitação pluviométrica, deverá reduzir a velocidade evitando colisões.

3- Ao mover-se lateralmente, e fundamental olhar atentamente para evitar acertar a cabeça ou ombro de outro piloto. Convém lembrar que as varetas podem ser letais.

4- Ao cruzar outro guarda-chuva, o piloto mais alto deve erguer o seu enquanto o mais baixo inclina o seu suavemente para evitar os olhos outro. Em caso de pilotos de mesma estatura, cada um deve tomar a iniciativa de erguer o guarda-chuva, sempre atento à movimentação do colega.

5- Ao entrar em um local coberto, o piloto deverá parar, se possível ainda na soleira da porta, virar-se em direção à rua e fechar seu guarda-chuva, sacudindo-o para que o excesso de água não emporcalhe o chão.

6- Ao sair de um local coberto, o piloto deverá aproximar-se ao máximo da saída, erguer o braço o mais alto que puder e abrir o guarda-chuva, evitando fazê-lo de frente, atingindo demais transeuntes.

7- Para entrar em ônibus e demais transportes coletivos, o guarda-chuva deve ser fechado antes. Embora o piloto vá se molhar por alguns instantes, evitará desconfortos aos demais passageiros.

8- Carregue sempre um saco plástico para embalar o guarda-chuva usado.

guardachuvas

Silêncio

Posted in Olhares on 24/06/2013 by Kilminster

Quando de tem idéias demais na cabeça, fica difícil falar, ou mesmo escrever.

Parece que fica tudo afunilado e não sai tudo que queremos dizer.

É porque é tanta coisa ao mesmo tempo, que se vai saindo fracionado não funciona.

Seria bom poder pegar o pensamento inteiro, como um bloco, e inserir na cabeça dos outros para deixar tudo bem claro.

Às vezes as palavras não são claras o bastante e pra piorar, cada um que lê, lê de um jeito.

Então se tem muitas idéias na cabeça, é melhor o silêncio.

Game of Thrones e o Novelão

Posted in Olhares with tags , , , on 12/06/2013 by Kilminster

Sim, sim… Vira e mexe tropeçamos em críticas às novelas, de que é tudo a mesma coisa, de que nada muda e coisa e tal e tal e coisa.

Só que ao mesmo tempo existe um frisson danado por conta de séries de TV produzidas nos Estados Unidos, em especial Game of Thrones, ultimamente.

Mas em uma análise rápida, a vantagem de Game of Thrones é ter menos capítulos e uma produção super caprichada, porque de resto, os grandes elementos de um novelão estão lá.

Temos o lado dos bonzinhos e dos malvados, intrigas, reviravoltas…Os Lannisters milionários com sua sede de poder, os mais simples e éticos Starks, a Daenerys coitadinha em busca de vingança, a Cersei sem escrúpulos, a Sansa arrivista, o Jon Snow puro de coração, os elementos inverossímeis, (dragões e demoninhos, que podem atuar como aquele personagem novo que chega na novela cheio de segredos sobre passado dos protagonistas)… Está tudo lá.

Produção multimilionária, um tanto a mais de sexo e violência e pronto. Tá feita a festa de quem gosta de novela mas não quer admitir.

Daí, um passa na TV a cabo, em inglês com legendas e tal… O outro é feito pra dialogar desde a madame até a empregada, daí se você assiste um você é isso, se assiste o outro é aquilo e aquela discussão de sempre…

Nada contra, na verdade. Nem contra o Game of Thrones, nem contra as novelas, mas que na essência os dois são a mesma coisa, não há como negar.

Talvez o grande trunfo de GoT seja não ter uma história melosa de amor permeando tudo, mas o desenrolar da série é de novelão das 8. E dos bons!

got carminha (1)

Vamos Brincar de Outra Coisa?

Posted in Olhares with tags , on 04/06/2013 by Kilminster

É o que dizem as crianças quando uma brincadeira já cansou ou não está agradando.

Simples assim, uma delas fala, as outras muitas vezes concordam e tudo resolvido. Levantam-se animadamente e vão fazer outra coisa.

A simplicidade da infância nos faz muita falta. Quem de nós nunca quis levantar de onde estava e simplesmente ir brincar de outra coisa?

Em minutos você deixa de ser um piloto de espaçonave e passa a ser um super-herói. Até agora você era o jogador que decidiria a Copa do Mundo, mas a mãe chamou para o lanche e você retorna como o mais sagaz e inteligente detetive de todos os tempos.

Quando crescemos, acabamos brincando de uma coisa só. Nossa multiplicidade desce pelo ralo e o mundo fica pequeno.

As crianças é que conhecem a vida em sua plenitude, depois vão sendo educadas para esquecer de tudo.

De Fim de Semana em Fim de Semana, a Gente Fica Velho Rápido

Posted in Olhares, Viagens with tags , , , on 24/05/2013 by Kilminster

É fato que o trabalho toma a maior parte de nossas vidas, basta fazermos uma conta das horas que passamos trabalhando e o percentual que elas representam das horas em que estamos acordados em um dia.

Daí que estamos sempre ansiosos para o fim de semana, para podermos descansar, relaxar, nos divertirmos, cuidarmos de outras coisas…

Para isso, fica sempre a torcida para que a semana passe rápido e o fim de semana chegue logo. Estamos sempre nos programando para o que vamos fazer na sexta, sábado e domingo, querendo que os outros dias voem mesmo.

Só que quando vamos ver, passou a semana, o mês e o ano! Daí nas festas de Natal e Ano Novo comentamos com nossos amigos e parentes, “Nossa, como este ano passou depressa”…

E é provável que tenha passado mesmo, pois assim desejamos, pois para cada sábado e domingo que esperamos ansiosamente, quisemos que os outros cinco dias passassem em um mero piscar de olhos.

E assim vamos envelhecendo…

Como Reconhecer um Proletário

Posted in Olhares, Viagens with tags , , on 14/05/2013 by Kilminster

Faz um tempo já, circulam pela internet vários e-mails que ensinam a identificar sintomas de pobreza. Não a sério, mas observando de forma muito bem humorada, hábitos e características das pessoas que têm que rebolar para fazer a vida acontecer.

Resolvi desta feita analisar os ditos proletários, não somente os pobres. O termo “proletário” por muito tempo designou a classe operária, mas por definição, proletário é aquele que tem sob sua responsabilidade uma prole, ou seja, sustenta sua família. Em suma, um pai ou mãe de família que não nasceu em berço de ouro, nem ganhou na mega-sena e nem tem herança para receber. Gente como eu e você.

Assim como em todas as classes sociais, o proletariado, gente que acorda cedo para pegar no batente, tem suas características marcantes.

Muitas vezes podem ser confundidas com traços de outros grupos, mas sempre lembrando que uma coisa não exclui a outra, você pode ser um proletário classemediano ou então um proletário de classe baixa ou outro tipo qualquer.

O verdadeiro proletário:
– Acorda de bom humor às sextas-feiras pelo simples fato de ser sexta-feira;

– Sabe qual porta do metrô pára em frente à escada;

– Sai correndo quando abre a porta do metrô para ser o primeiro a subir pela escada;

– Lê o horóscopo no Metrô News;

– Sabe o que pesa e o que não pesa muito no prato em um restaurante à quilo;

– Sempre que puder, levará marmita;

– Pega menos comida para poder pegar sobremesa;

– Consegue dormir em pé no busão;

– Sabe o nome do motorista e do cobrador da linha;

– Se pega ônibus fretado, contabiliza o tempo do trajeto como “horas de sono”;

– Lê os livros e revistas dos outros no busão na base da pescoçada;

– Conhece o repertório musical das lotações;

– Acha normal ficar esmagado na condução;

– Conhece uma lojinha perto do serviço que vende bolachas bem baratinho;

– Fica parado em frente às bancas de jornais para ler as manchetes, mas nunca compra nada;

– Se for mulher, conhece alguém no serviço que passa a revistinha da Avon e também uma moça que vende Natura;

– Ainda, se for mulher, vai à manicure na hora do almoço;

– Sai correndo quando dá a hora de ir embora;

– Passa no açougue quando desce do metrô e vai na lotação carregando o pacotinho de bife ou carne moída;

– Principalmente no caso feminino, corre chegar no ponto um pouco mais cedo para poder ver o finalzinho da novela das seis, se for homem, o programa de esportes das seis e meia;

– Sabe que tem que dormir mais cedo mas não resiste e assiste televisão até tarde.