Arquivo para julho, 2013

A Hora do Banho

Posted in Viagens with tags , , on 24/07/2013 by Kilminster

Não adianta. Mesmo que as temperaturas caiam tanto quanto possam cair em nosso país tropical, o brasileiro toma pelo menos um banho por dia. É questão de honra.

Só que com as temperaturas baixas como estão, esta não é uma tarefa assim tão simples.

chuveiroMas você se enche de coragem, estufa o peito vai lá… lacra todas as entradas de ar e liga o chuveiro na temperatura de depenar frango 5 minutos antes para esquentar o banheiro. Isso porque você vai ter que tirar a roupa. Insistem todas as convenções modernas que banho se toma nu, haja o que houver.

Aí torturantemente você vai se descascando tirando peça por peça e sentindo que a cada uma que se vai, o congelamento se torna inevitável. Quando termina, você está todo arrepiado e seu bilau se apresenta completamente fora de qualquer padrão de dignidade.

Intrépido, você corre e se enfia embaixo d’água e aos poucos vai sentindo o alívio e o conforto que a água quente proporciona. A incrível sensação de relaxamento toma conta do seu ser e você se sente feliz. Se ensaboa e enxágua rapidamente e percebe o pior… Você vai ter que sair.

Mas a coragem não ajuda… É quando você percebe que para deixar a água quentinha abriu tão pouco o chuveiro que precisa ficar estático, encolhidinho na pose do Oscar para se esquentar. 81st Academy Awards¨ Press Kit Images

E você não vai poder ficar ali pra sempre, então num esforço sobrehumano você sai debaixo da água e corre pra toalha, sem desligar o chuveiro, pra manter o banheiro quentinho, e ainda úmido se enfia no máximo de roupa que puder!

Missão cumprida, é torcer para o tempo esquentar. Senão vai ser a mesma epopeia.

Anúncios

Dramas de Classe Média

Posted in Momento Sr. Saraiva, Viagens with tags , , , , on 05/07/2013 by Kilminster

preconceito
pre.con.cei.to
sm (pre+conceito) 1 Conceito ou opinião formados antes de ter os conhecimentos adequados. 2 Opinião ou sentimento desfavorável, concebido antecipadamente ou independente de experiência ou razão. 3 Superstição que obriga a certos atos ou impede que eles se pratiquem. 4 Sociol Atitude emocionalmente condicionada, baseada em crença, opinião ou generalização, determinando simpatia ou antipatia para com indivíduos ou grupos. P. de classe: atitudes discriminatórias incondicionadas contra pessoas de outra classe social. P. racial: manifestação hostil ou desprezo contra indivíduos ou povos de outras raças. P. religioso: intolerância manifesta contra indivíduos ou grupos que seguem outras religiões.

 

prepotência
pre.po.tên.cia
sf (lat praepotentia) 1 Qualidade de prepotente; poder superior. 2 Abuso do poder ou da autoridade; opressão, tirania, despotismo. 3 Biol Capacidade de um dos genitores transmitir à prole seus caracteres, em prejuízo do outro.

 

egoísmo
e.go.ís.mo
sm (ego3+ismo) 1 Qualidade de egoísta. 2 Amor exclusivo de sua pessoa e de seus interesses. 3 Conjunto de propensões ou instintos adaptados à conservação do indivíduo. 4 Comodismo.

 

soberba
so.ber.ba
(ê) sf (lat superbia) 1 Altura de coisa que está superior a outra; elevação, estado sobranceiro. 2 Manifestação ridícula e arrogante de um orgulho às vezes ilegítimo. 3 Altivez, arrogância, sobrançaria. 4 Orgulho, presunção. 5 Teol Um dos sete vícios capitais.

 

cegueira
ce.guei.ra
sf (cego+eira) 1 Falta de vista; estado do que é cego; incapacidade de ver; ablepsia. 2 Ignorância. 3 Obcecação, fanatismo. 4 Extrema afeição a alguém ou alguma coisa. 5 Perturbação, desvairamento. C. diurna: V nictalopia. C. noturna: V hemeralopia. C. verbal: incapacidade de reconhecer palavras escritas como símbolos de ideias.

 

subserviência
sub.ser.vi.ên.cia
sf (subserviente+ia2) 1 Qualidade de subserviente; anuência ou sujeição servil à vontade de outrem. 2 Bajulação, servilismo.

http://michaelis.uol.com.br/moderno/portugues/

Tráfego de Guarda-Chuvas

Posted in Olhares with tags , , on 01/07/2013 by Kilminster

Se você já andou por alguma rua do Centrão em dia de chuva sabe o drama que é a circulação de milhares de pessoas com seus guarda-chuvas abertos.

Urgentemente a CET precisa criar um código que regulamente o tráfego destes acessórios, que por trás da máscara de sua função primária, pode ser letal.

Seguem sugestões para regular o comportamento dos pilotos de guarda-chuvas:

1- Coberturas e marquises devem ser cedidas às pessoas sem guarda-chuva.

2- Pilotos não devem cobrir a visão com seu guarda-chuva, se for necessário por conta da direção da precipitação pluviométrica, deverá reduzir a velocidade evitando colisões.

3- Ao mover-se lateralmente, e fundamental olhar atentamente para evitar acertar a cabeça ou ombro de outro piloto. Convém lembrar que as varetas podem ser letais.

4- Ao cruzar outro guarda-chuva, o piloto mais alto deve erguer o seu enquanto o mais baixo inclina o seu suavemente para evitar os olhos outro. Em caso de pilotos de mesma estatura, cada um deve tomar a iniciativa de erguer o guarda-chuva, sempre atento à movimentação do colega.

5- Ao entrar em um local coberto, o piloto deverá parar, se possível ainda na soleira da porta, virar-se em direção à rua e fechar seu guarda-chuva, sacudindo-o para que o excesso de água não emporcalhe o chão.

6- Ao sair de um local coberto, o piloto deverá aproximar-se ao máximo da saída, erguer o braço o mais alto que puder e abrir o guarda-chuva, evitando fazê-lo de frente, atingindo demais transeuntes.

7- Para entrar em ônibus e demais transportes coletivos, o guarda-chuva deve ser fechado antes. Embora o piloto vá se molhar por alguns instantes, evitará desconfortos aos demais passageiros.

8- Carregue sempre um saco plástico para embalar o guarda-chuva usado.

guardachuvas