Arquivo para março, 2012

Puxa-Sacos

Posted in Momento Sr. Saraiva, Olhares on 29/03/2012 by Kilminster
Chegam cheios de sorrisos e gentilezas, falam coisas doces que teoricamente você gostaria de ouvir.
Aparecem do nada com algum pretexto qualquer, puxam conversa e no meio de elogios, adulações e outras coisas sem importância.
Deslizam como répteis em volta do alvo, sussurram sibilantes ardis, pois crêem que assim criarão asas.
Supõe que seus sorrisos falsos e polidos ocultam os olhares dissimulados e maliciosos.
Aparecem e desaparecem furtivamente como baratas no açúcar.
Repugnantes e esquivos.
Como baratas, merecem nada mais que serem esmagados.
Anúncios

Sala de Impaciência

Posted in Olhares, Viagens with tags on 22/03/2012 by Kilminster

É sempre igual, onde quer que seja. Pode ser do médico, do dentista, da agência de turismo, da repartição pública… Independente de ser mais sofisticada ou mais simples, ou mais ou menos confortável, as salas de espera são sempre a mesma coisa.
Todo mundo chega, passa pela recepção, às vezes pega uma senha, procura o lugar mais afastado dos outros e senta. Quando tem televisão, todo mundo fica olhando, prestando só meia atenção. Senão, folheiam revistas velhas, especialmente as de fofocas ou as de entidades de classe que os médicos adoram deixar por ali.
Ademais, ficam reparando uns nos outros, tentando imaginar o que o outro veio fazer ali, se vai demorar. Imaginam que aquela moça poderia fazer o menino parar quieto em vez de ficar subindo na mesa de centro e que a velhinha aposentada poderia deixar o primeiro horário da manhã para as pessoas que vão sair dali direto para o trabalho. E tem sempre aqueles que tentam puxar as conversas mais sem graças possíveis.
As pessoas sempre ficam com aquela sensação incômoda de estarem sendo observadas e avaliadas. Os gestos ficam engessados, calculados, artificiais. Ninguém quer se tornar o centro das atenções.
Quando as pessoas começam a serem chamadas, começam as ondas de indignação. Porque um chegou primeiro, o outro tinha hora marcada, e não sei quem tem que ir trabalhar, e aquele lá está passando mal… Uma maluquice.
Apesar de estarem todos em uma sala de espera, ninguém quer esperar de fato. Sala de espera é sala de impaciência.

Coisas Que Enchem o Saco

Posted in Momento Sr. Saraiva, Uncategorized, Viagens with tags , , on 15/03/2012 by Kilminster

 

1) Aquele aviso no Metrô que diz: Em razão das chuvas os trens estão circulando com velocidade reduzida e maior tempo de parada. – Que horror! E para tal, basta que alguém cuspa na via. E tome lerdeza, super lotação, cotoveladas, aperto, moleques com mochilas gigantes e senhoras baixinhas cheias de sacolas. Nesses dias, o a administração do Metrô deveria distribuir na saída, atestados de lerdeza. Porque aos ouvidos do chefe, metrô ruim é desculpa esfarrapada;


2) Horário Eleitoral Gratuito – Se essa porcaria fosse usada para o fim a que se destina, seria ótimo, mas pelo contrário. A maioria das campanhas serve para desinformar e confundir a massa. O que acabamos vendo são obras de marqueteiros com muito apelo emocional. Como se campanha eleitoral servisse para vender margarina;


3) Rádios que cortam trechos de músicas – Que droga! Eles cortam todos os solos de músicas. Se acham que a música é muito grande, simplesmente não a toquem. Dá uma raiva! Imagine você, ver o quadro da Santa Ceia de Da Vinci, com um dos apóstolos faltando só para o quadro caber na parede!!!


4) Gente que não consegue andar e falar ao mesmo tempo – Estes geralmente estão andando em grupos de três pessoas ou mais, sempre na sua frente. Sempre param de andar enquanto falam. Viram para trás e gesticulam e se espalhando pelo passeio. E você, que invariavelmente estará com muita pressa, ficará ziguezagueando sem conseguir ultrapassá-los;


5) Operador de Telemarketing – Quem agüenta um cidadão que te liga às 8:00 da manhã no sábado para vender cartão de crédito, assinatura de jornais/revistas ou pedir doações para salvar as manadas de gnus do Botswana. E aquele texto decoradinho? Fora as argumentações e as contra-argumentações que só terminam quando você reage de modo mal educado.

Sobre a Dificuldade de Ser Super-Herói

Posted in Momento Sr. Saraiva, Olhares with tags , on 08/03/2012 by Kilminster

Não é fácil. Realmente não é fácil. Isso porque super-heróis devem ser infalíveis, impassíveis e invencíveis. E ainda mais, devem ser incansáveis. Devem lutar até o fim sem jamais esmorecer.

É obrigação estar alerta a todo e qualquer imprevisto que possa colocar a humanidade em risco. Devem estar sempre à disposição, impávidos em seus uniformes, prontos a lutarem pela justiça.

Image

Nada é obstáculo, nada os detém. Mares, montanhas, vulcões e geleiras não são páreo para a determinação de um super-herói.

Deve ser sensível às dores do mundo e ter coração de pedra às suas próprias. Verdadeiros super-heróis relegam suas mazelas às suas identidades secretas, que por serem secretas, ninguém conhece.

Super-Heróis têm que estar aí para o que der e vier, sem cambalear, sem titubear, sem reclamar.

Alô… Planeta Terra Chamando!!!

Posted in Momento Sr. Saraiva, Viagens with tags on 06/03/2012 by Kilminster

Se você quer viver no Mundo da Lua, tudo bem. É um direito que você tem. Mas saiba de uma coisa, os meios de transporte que levam as pessoas para lá são cápsulas individuais. Quem vai, vai sozinho. Se alguém está junto na viagem, é porque pegou sua própria cápsula, de livre e espontânea vontade.
O Mundo da Lua é um lugar para poucos. Pra viver lá, tem que preencher uma de duas condições: ou ter um total desapego às coisas terrenas, ou algum terráqueo que segure tua onda, como um balão de gás por um barbante.
Sim, porque o Mundo da Lua é todo seu. Você faz o que quer, como quer, na hora que quer. As coisas acontecem ao seu modo, todo mundo concorda com o que você diz, suas vontades são lei.
Já na Terra, o mundo é sujo, feio e malvado. O dinheiro manda e a vida das pessoas é nada menos que uma eterna luta para se manter em pé. Ninguém está nem aí para seus caprichos, para suas vontades e pior, para seus sentimentos. As coisas são como são e pronto.
O trágico é que para o Mundo da Lua não se vai de corpo, apenas de alma. O corpo fica aqui na Terra, de modos que ainda que com a cabeça lá, o estômago e todo o resto está aqui.
Então entenda que se você está no Mundo da Lua e não é um mendigo, alguém está segurando a cordinha do seu balão.
E entenda também que se você puxar demais, a cordinha pode ser solta. Aí já era!
Portanto você que está no Mundo da Lua, olhe para baixo de vez em quando e agradeça se tiver alguém te segurando e principalmente, não cobre que este venha com você, porque para o Mundo da Lua, só se vai sozinho.

Kilminster em Momento Auto-Ajuda II (O livro começa a tomar forma)

Posted in Viagens on 01/03/2012 by Kilminster

Eita… Questões práticas tomando a frente de momentos de reflexão e filosofias…
Quando isso acontece é hora de acender o alerta. Seguir no automático, sem parar para pensar não é bom. As coisas saem por hábito, do jeito que sempre foram que nem sempre é o melhor…
Se o dia parece ter poucas horas é porque alguma coisa está errada, por isso parar para pensar é essencial. Tempo de reflexão não é tempo perdido, é tempo investido.
Dois minutinhos pensando sobre o melhor jeito de se organizar a vida pode render tempo extra para coisas mais interessantes.
Respirar é essencial. Trocar a pressa e a afobação pela rapidez e eficiência traz grandes resultados.
Decisões precipitadas geram desgastes desnecessários e gasto de tempo para refazer tudo. Assista algum documentário sobre felinos caçando e perceba que se o animal não espera o momento exato, põe toda a caça a perder.
Rotina é massacrante, sufocante, desgastante e pode transformar o espetáculo da vida em uma coisa tão enfadonha quanto os velhos discursos do Fidel.
Lembre-se, dois minutinhos… Respire.