Arquivo para 16/04/2011

O Duro Exercício da Loucura

Posted in Olhares, Viagens with tags , , on 16/04/2011 by Kilminster

Dizem que de médico e louco todo mundo tem um pouco. De fato, a maioria das pessoas que eu conheço admite que às vezes é capaz de diagnosticar enfermidades nas pessoas próximas e até receitar medicamentos e receitas milagrosas caseiras.

O problema está em aceitar a própria loucura. Não sei por que a loucura é tratada sempre pelo lado pejorativo. Quando se fala em louco, logo se pensa em um interno de sanatório, vestido naqueles pijamões, encolhido em um canto tremendo e babando enquanto recita repetidamente maldições que ele mesmo inventa.

Mas não é assim. A loucura se manifesta o tempo todo e em todas as pessoas. A desgraça é que está cada vez mais difícil se manter louco neste mundo de normais.

É muito complicado manter seus níveis de insanidade quando há toda uma conspiração para que seu comportamento se enquadre em padrões de normalidade aceitável. Ninguém pode sobreviver se não for um pouco louco, já dizia o Seal.

 Uma vez um louco cismou que a Terra girava em torno do sol e não ao contrário. Foi parar nas barbas da Inquisição!!!

Outro bigodudo de chapéu esquisito disse que ia criar uma máquina de voar. Virou motivo de chacotas até ele sair voando por Paris na frente de quem quisesse ver. Loucura foi não ter patenteado as invenções. Será? O pobre louco achava que os inventos deveriam pertencer à humanidade. Isso é loucura. Normal é você criar alguma coisa que beneficia a todos e depois cobrar royalties para tirar o couro de quem quiser usufruir tais benesses, ainda que seu invento seja, por exemplo, um remédio.

Loucura pensar que você pode trabalhar menos e viver mais, o normal é fazer quantas horas extras forem possíveis para conseguir melhorar os resultados da empresa em que você trabalha. E se você ficar doente porque trabalha demais, sua empresa o substituirá por outro funcionário. Normal.

É normal pensar que aquele velhinho alemão de roupas brancas seja o representante de Deus na Terra, ou então que Jesus conversa com o pastor da TV. Loucura é pensar que a Bíblia, a Torá e o Alcorão dizem, lá no fundo, a mesma coisa.

É loucura achar que todas as pessoas são iguais independentemente do lugar onde nasceram. Normal é espancar um indivíduo porque ele torce para outro time.

Loucura é ser normal. O normal é ser louco!

 

 

Anúncios

Pense um Pouco…

Posted in Momento Sr. Saraiva, Olhares with tags , on 16/04/2011 by Kilminster

Internet é um negócio legal, a gente tem através dela acesso a tudo! Tudo o que você imagina está lá, ficando apenas a critério do ilustre navegante o limite de onde se pode ir.

A internet também criou espaço para que todos possam se manifestar e colocar idéias, textos, compartilhar coisas e tal e coisa e coisa e tal.

As redes sociais permitem integrar, relembrar, reencontrar… Inclusive aquela sensação segura de que apesar de não falar com fulano há anos, ele está lá no ícone do seu facebook à distância de um clique.

Tudo isso é bastante óbvio e já mais que debatido, mas o outro lado da moeda é terrível.

Qualquer idiota agora pode despejar a quantidade de besteiras que bem entender sem maiores consequências. O quase anonimato, e a menor possibilidade de se levar uma resposta à altura, como ocorre no “tête-a-tête”, possibilita a muitos patetas a chance de abrirem sua torneirinha de asneiras*.

Aí é um espetáculo de reproduções de senso comum, frases feitas de autores de qualidade duvidosa, repetições de discursos absolutamente questionáveis, e afirmações da profundidade de um pires.

A velocidade da internet barra a reflexão. O cara vai lá, manda 140 caracteres de bobagens e nem quer saber.

Aí acabamos obrigados a ler tanta idiotice que até desanima.

A grande diferença entre homem e máquina é a capacidade de reflexão. Não podemos ser máquinas. Seria um retrocesso sem limites.

 *Como Monteiro Lobato descrevia os surtos de bobagens proferidos pela boneca Emília.