Arquivo para agosto, 2010

O Curioso Universo das Diaristas

Posted in Olhares with tags on 31/08/2010 by Kilminster

Muito interessantes são estas profissionais tão presentes na vida de nós classemedianos que não temos dinheiro para termos uma empregada fixa indo todos os dias à nossa casa, mas também, devido a falta de tempo optamos por contratar uma pessoa que nos dará aquele alívio na incrível, maçante e sofrida tarefa de fazer faxina. Para casos como este surge a diarista.

Aquela moça ou senhora que virá à sua casa em intervalos regulares para dar aquele tapa na limpeza e em alguns casos uma passadinha na roupa.

Aí temos duas variações, aquelas a quem deixamos sozinhas em casa enquanto trabalhamos ou no caso de mães donas de casa atarefadas, aquelas que ficam em casa junto com os contratantes.

No primeiro caso, além de eventualmente tomar aquele cano, é sempre uma surpresa voltar para casa em dia de limpeza. Você nunca sabe onde vai encontrar seus objetos que podem estar alocados nos mais diversos e criativos lugares.

Já tive a oportunidade de encontrar refratários retangulares empilhados com os redondos, vasos no meio da sala, caixas de som empilhadas do modo mais impróprio, balanças de banheiro colocadas na vertical e acreditem, uma chave no congelador!!! Quisera eu saber a motivação para tal, mas não tive coragem de perguntar. E isso tudo sem comentar alterações na decoração da casa inteiramente grátis.

Quando ficam sozinhas em casa, ataques à geladeira são frequentes. Nada demais não fosse o curioso fato dos itens consumidos serem na maioria das vezes supérfluos, guloseimas em geral. Nunca ocorreu lá em casa da diarista ter preparado um almoço e mandado ver, mas chocolates, iogurtes, doces, latas de leite condensado e outras coisas do gênero sempre sofrem algum tipo de desfalque. Um amigo meu uma vez teve a surpresa de não encontrar uma garrafinha de uma cerveja especial que ele tinha comprado para degustar após um árduo dia de trabalho.

Já aquelas donas de casa que compartilham o espaço com a diarista, conseguem controlar melhor a colocação dos objetos de volta a seus devidos lugares e também o que sai e o que não sai da geladeira. Em compensação, são brindadas com várias intervenções em qualquer conversa sobre qualquer assunto, sugestões sobre como isso ou aquilo deveria ficar, relatos extremamente detalhados sobre a vida das outras donas de casa para as quais a diarista trabalha e passam agradáveis horas sem ter onde ficar enquanto a casa está de pernas para o ar.

Mas é isso ou então dedicar suas manhãs de sábado à incrível tarefa de lavar azulejos, tirar pó, passar pano em tudo… Por isso, respire fundo e releve. E melhor assim.

Anúncios

Posted in Viagens on 28/08/2010 by Kilminster

Horário Político, de novo…

Posted in Momento Sr. Saraiva, Olhares with tags , , on 19/08/2010 by Kilminster

Não assista ao Horário Político. Não perca seu tempo com essa bobagem. E também não caia na conversinha mole de que isso é importante para você conhecer os candidatos. Bobagem.

Ninguém mostra a cara no Horário Eleitoral Gratuito, o que vemos lá é o que eles querem que pensemos que eles são. Todos contratam seus marketeiros e vão moldando suas imagens segundo orientações do profissional que vai querer vender o candidato para você como se fosse uma nova marca de margarina.

Se quer saber em quem está votando, pesquise sobre a vida do candidato, saiba que posições ele vem assumindo ao longo dos anos, se já virou a casaca, o que ele já fez na vida, se apoiou ditaduras sangrentas, se participou de governos elitistas, como ele agiu nos cargos anteriores que ocupou.

Tente entender como pensa o PARTIDO pelo qual ele se candidatou, que tipo de gente ele vai trazer a tiracolo, quem vai ser o vice, (se você acha que vices não importam, pense no Sarney, no Itamar…).

Para os cargos do legislativo, pelo amor dos deuses, vote no mínimo em candidatos de partidos que se alinhem com a filosofia do candidato que você escolheu para o executivo, afinal de contas, como um neoliberal consegue governar com uma bancada socialista e vice-versa?

Entenda que um candidato não é mais uma pessoa, ele é uma instituição e traz consigo um monte de outras coisas que inclusive independem de sua opinião pessoal. Não é porque este ou aquele parece bonzinho que fará um governo bonzinho.

Mas não assista ao Horário Político. Vá fazer outra coisa, leia um livro, assista um DVD, ouça música, lave a louça, leve o cachorro para passear, jogue baralho, brinque com seu filho, mas não fique vendo essa porcaria, porque nada de bom vai sair dali.

Voltando das Férias

Posted in Viagens with tags , on 13/08/2010 by Kilminster

Quando é que a legislação vai determinar que a volta das férias deve ser feita em doses homeopáticas, hein? Porque sinceramente, sair do estado de felicidade geral que as merecidas férias proporcionam direto para a loucura do trabalho não dá.

Devia ter alguma coisa, sei lá, uma espécie de quarentena, tipo a gente ficar apartado da equipe realizando pequenas tarefas sem tanta importância por alguns dias antes de sermos recolocados no convívio com a maluquice habitual da empresa.

Ou quem sabe a primeira semana ser de trabalho em progressão gradual de horas. Duas horas na segunda, três na terça, quatro na quarta, e assim sucessivamente até atingir as oito horas.

Dizem que o corpo humano leva mais ou menos 15 dias para se adaptar a uma rotina, então os primeiros dias de férias servem para o cidadão se adaptar ao descanso.

Sugiro então que nos dias que antecedem as férias o procedimento acima seja realizado ao inverso, reduzindo a jornada aos poucos até que o dia das tão esperadas férias cheguem.

Mas a volta é que é o problema. Você chega em clima de paz e amor e todos os seus colegas estão acelerados. Você entrega um chaveirinho de berimbau para seu chefe e ganha uma pilha de papel para ser analisado. Não há quem consiga lidar com isso de forma não traumática.

E a perguntinha “Descansou?” seguida por “Ótimo, porque aqui o negócio está pegando fogo”.

Aí lá vai você trabalhar mais onze meses para poder fazer alguma coisa legal nas férais.

“La Nuestra”

Posted in Esportes with tags , on 11/08/2010 by Kilminster

“La Nuestra” ou “A Nossa” é como define brilhantemente o jornalista argentino Horácio Pagani sobre a maneira que ele gostaria de ver jogando o selecionado dos hermanos. E é o mesmo sentimento que temos nós brasileiros quando vemos a Seleção jogar. Mais do que com métodos modernos, táticas revolucionárias e conceitos que são tendência no futebol moderno, queremos ver o Brasil jogar à nossa maneira, à brasileira.

E foi exatamente isso que conseguiu a Seleção na estréia de Mano Menezes. Sem frescuras nem explicações complicadas, muito menos respostas atravessadas, a seleção foi escalada com o que tinha de melhor à disposição e com um esquema de jogo que privilegia a maneira Brasileira de jogar.

Futebol leve, de toques rápidos, posse de bola e dribles aplicados na hora certa e em direção ao gol. A seleção dos Estados Unidos não conseguiu atacar o Brasil, mesmo depois de sofrer 2×0 simplesmente porque não tinha a bola. Os brasileiros permaneceram a maior parte do tempo no ataque passando a bola de pé em pé esperando o momento certo para uma investida mais aguda.

Era isso que se esperava minimamente da equipe brasileira na Copa do Mundo, o que não é nem de longe garantia de vitória, mas por outro lado é o modo com que os brasileiros historicamente sempre jogaram.

Se no jogo contra a Holanda o Brasil tivesse ficado com a bola o tempo todo, em vez de ceder a posse da mesma aos adversários, possivelmente não teria sofrido os gols do segundo tempo além de ter obrigado a seleção holandesa a correr o tempo todo atrás da bola, gerando assim espaços no campo de ataque para ampliar a vantagem.

Porém, Dunga preferiu jogadores comprometidos a jogadores bons de bola… Fez o Brasil jogar como se fosse a Alemanha… O único porém, é que o Brasil não consegue jogar à alemã, o Brasil tem que jogar à brasileira, é isso que queremos ver.

O estilo brasileiro é único e inimitável e foi o que conquistou a admiração de todo o mundo e nos fez famosos. Não tem porque abrir mão disso para copiar o modo de jogo de seleções que precisam de grandes esforços táticos para superarem limitações técnicas.

Enfim, novo momento, nova era… Ganhando ou perdendo, jogando a la nuestra!!!

Rolê na Teodoro

Posted in Olhares, Sons with tags , , on 10/08/2010 by Kilminster

A Teodoro Sampaio parece a Disneylândia de tanta diversão que tem lá! Naquele pequeno trecho entre a João Moura e a Alves Guimarães tem tudo que pode fazer um músico feliz.

Tá certo que não são lá os melhores preços, maas, para os padrões brasileiros não tem nada melhor.

Guitarras, baixos, baterias, amplificadores, teclados, pedais, violões, luthiers, microfones, cabos, estúdios e tudo mais em lojinhas especializadas para todos os gostos e bolsos. Desde guitarras baratas para iniciantes até raridades a preços proibitivos.

Mas talvez nem isso seja o mais interessante. Talvez o que mais chama a atenção lá é a vibe. Aquele sobe e desce de gente de todo tipo, sons diversos saindo de cada porta, aquele monte de coisas legais todas ali expostas… Acho que isso é o mais divertido. Porque comprar mesmo, é só de vez em quando.

Para músicos não profissionais, ou quase profissionais, ou quase músicos, é uma chance de trocar idéias, conhecer algumas coisas e até de ajudar a convencer um menos experiente de que uns arranhões na guitarra fazem parte do rock and roll.

Diversão garantida para manhãs de sábado.

 

Sem Assunto.

Posted in Viagens on 01/08/2010 by Kilminster

Não tem tido muitas novidades por aqui,  mas não é que não tenha novidade nenhuma, é que talvez elas estejam sendo comentadas de outras formas.

Sim, sim, sim… Sei que é negligente e até egoísta, mas em vez de fazer um texto sobre a chegada do novo membro da família, eu fiz uma musiquinha. Uma pecinha instrumental de violão, como há muito tempo eu não fazia. (uma hora eu gravo e ponho aqui). Mas é que com a músiquinha, eu creio ter conseguido por as idéias pra fora com mais exatidão do que eu poderia fazer com palavras.

Isso entre outras coisas que foram acontecendo e que eu não comentei aqui.

Mas tá bom, vai… Prometo que escrevo alguma coisa legal logo. Assim que me der algum insight divertido.