Arquivo para julho, 2009

zummmmm

Posted in Momento Sr. Saraiva on 30/07/2009 by Kilminster

– Acampar é legal, mas por muito tempo, aborrece;

– A incompetência alheia é algo difícil de lidar…;

– Também é complicado quando você começa a achar que um taco de beisebol pode ser uma boa solução para os seus problemas;

Dia do Amigo

Posted in Olhares on 21/07/2009 by Kilminster

Não tenho muitos… Mas tenho os melhores.

Como diria Axl Rose…

Posted in Momento Sr. Saraiva with tags , on 21/07/2009 by Kilminster

All it takes is patience…
A fucking little patience…
It’s all we need.

Cruzeiro é Brasil na Libertadores?

Posted in Esportes, Olhares with tags , , , on 16/07/2009 by Kilminster

Como assim dizer que o Cruzeiro é Brasil na Libertadores? O Cruzeiro é Cruzeiro e só. Pode ser até que alguns torcedores de outras agremiações venham a apoiar o time de Belo Horizonte na decisão de hoje, mas no geral não tem essa.

O que conta nessas horas é a rivalidade. Que torcedor quer ver o colega que torce para o outro time comemorando o maior título das Américas? Pouquíssimos. Aposto que não há torcedor do Galo que queira ver BH amanhecer azul e depois ter que ficar aguentando sarrinho porque o Atlético nunca venceu a Libertadores.

Os sãopaulinos não querem nem saber de outro clube brasileiro dividindo o estatus de maior vencedor brasileiro da Libertadores. Os santistas e gremistas não querem que mais um time os ultrapasse no número de títulos e assim por diante.

Essa coisa de um time representar um país ou um estado é só quando este é pequeno e conquista a simpatia dos demais, como o São Caetano na Libertadores de 2002 ou a Portuguesa no Brasileirão de 1996, para os paulistas. De resto, se não for o nosso time, quanto mais longe estiver o vencedor, melhor. Se o Estudiantes vencer hoje, a probabilidade de encontrarmos um torcedor argentino para ficar de gozação é mínima, por outro lado, poderemos zoar aquele cruzeirense pentelho do trabalho.

É assim que funciona. Nunca espero que os torcedores de outros times apoiem o meu quando estamos em alguma decisão desse tipo e também não vou torcer para nenhum outro time. Ou melhor, vou torcer para o que estiver mais longe. Sem hipocrisia, se for para ter festa que seja do meu time, porque senão, não quero saber.

Portanto quando o Galvão disser “O Cruzeiro é Brasil na Libertadores”, vou mentalizar: “Ei Galvão…”

Espera

Posted in Olhares, Viagens on 14/07/2009 by Kilminster

Aí eu estava lá parado de novo no mesmo lugar ouvindo aqueles violinistas ruins tocando Burt Bacharach. Costumava ser Eleanor Rigby dos Beatles. Mas pouco importa. Eles tocam mal mesmo… E na verdade eu não estava ali para ouvi-los, e sim esperando.

Me ocorreu então que desperdiçamos muito tempo de nossas vidas esperando coisas. Ficamos à mercê de outros fatores que não dependem exatamente de nós e por isso somos obrigados a ficarmos parados até que a situação se resolva para podermos ir adiante.

É bem melhor quando não depende de mais ninguém e podemos sair correndo atrás do que nos interessa. É só você, você vai lá e faz. Não tem que ficar por conta da boa vontade alheia.

Tem gente que faz questão de complicar as coisas. Em vez de dizer logo tudo o que quer fica ciscando em volta, cada hora dando uma bicada e não vai direto ao ponto. Um saco…

Mas tem hora que só a paciência salva. Não adianta se descabelar. Se o que era para ser feito já foi, esperar é o único remédio.

Insônia

Posted in Viagens on 10/07/2009 by Kilminster

Às vezes acontece. Deitamos na cama, cansados e não conseguimos pregar os olhos. Ou pior, ficamos naquele estado entorpecido de sono leve em que a semi consciência nos faz ter aqueles sonhos estranhos, meio misturados com a realidade e às vezes nos vemos deitados na cama no quarto escuro, às vezes em outro lugar qualquer.

Aí de repente estou morando em um lugar estranho, longe de casa. Eu sei que tenho que voltar, mas também sei que eu moro ali e ali tenho que ficar. Saio da cama e tento ver o que acontece envolta. Moram outras pessoas lá. Algumas eu conheço, outras não. Então tenho que esconder minhas coisas… mas onde? Já sei. O que tiver que esconder, esconderei em baixo da mesa. Por baixo da mesa ninguém vai olhar!!!

Estou no quarto de volta. Quase abro os olhos. Posso sentir a pressão do colchão. Viro para o outro lado… que confuso! Estou indo para o trabalho agora. Mas assim não dá. Não posso ir com essa roupa. Tenho que voltar para casa. Mas qual casa? A minha mesmo ou a que eu estou morando agora? Vou para casa estranha. Ela já é diferente, é só minha. Tem poucos móveis… Minhas roupas estão estendidas em um varal no banheiro. Mas estão molhadas. Não posso usá-las assim. Droga! Vou ter que ir para a outra casa. Mas é longe… como vou fazer?

O despertador toca. Na verdade eu dormi, mas foi como se não tivesse dormido. Precisava de mais meia hora, só meia hora. Vou ficar aqui  mais um pouco… Não, não posso! Vou levantar… não consigo…

O despertador toca de novo. Agora sim de verdade e pela primeira vez. Aperto a soneca. Nos dez minutos que se seguem eu apago, como se alguém tivesse me desligado da tomada… Toca de novo… agora tenho que levantar mesmo. Se pelo menos tivesse apagado a noite inteira…

Sem importância…

Posted in Viagens with tags , , , on 07/07/2009 by Kilminster

Será que o Robert Plant usaria aquela cabeleira se já houvesse nos anos 60 a escova progressiva? Isso sem falar no Caetano, Betânia, Gal entre outros…

Quem diria que o Peter Gabriel ficaria a cara do Paulo Coelho

O Ronalducho disse que duvida que a torcida do Flamengo seja a maior do Brasil. E quem se importa com isso? O Calypso vende muito mais do que o Chico Buarque…

Falando em Joelma, Chimbinha e afins, o estado do Pará pode sofrer represálias do conselho de segurança da ONU por produzir armas de destruição em massa?

Será que com a morte de Michael Jackson o Marylin Manson assumirá o posto de maior freak decadente do mundo?

The Night

Posted in Tem Que Ouvir with tags , , on 04/07/2009 by Kilminster

Quinto e último álbum de estúdio desta banda americana Morphine, lançado em 2000 já depois do falecimento de seu mentor, baixista e vocalista, Mark Sandman, (de enfarto, encima do palco), se destaca na discografia da banda justamente por ser um disco muito bom e não um mero lançamento de sobras de estúdio.

morphineA atmosfera do disco é densa, sensual, arrastada, letárgica e envolvente. É daquelas raras obras que consegue tirar o ouvinte do mundo enquanto toca.

Todos os instrumentos são explorados de modo a ressaltar os tons mais graves, e a voz introspectiva e quente de Sandman se combina perfeitamente com o sax barítono e a bateria “cool jazz”, (é verdade, o Morphine não tem guitarra).

Uma sonoridade única, refinada e ao mesmo tempo cativante, que pega na primeira audição.

Destaques: A faixa título, Souvenir, Like a Mirror e a fantástia Rope on Fire.

Por que?

Posted in Viagens on 01/07/2009 by Kilminster

Então tudo tem que ter um porque? Sei lá, talvez não. Às vezes as coisas simplesmente são como são e pronto. Nem sempre há uma motivação específica para algo e também nem sempre algo pode ser explicado assim, com uma pequena frase iniciada por “porque”.

Crianças têm a fase dos “por quês” querem saber tudo. Perguntam e perguntam e perguntam numa curiosidade inesgotável que acaba por dar na inefável resposta de adultos aborrecidos “porque sim”.

Às vezes os porquês das coisas são como aquelas palavras de línguas estrangeiras que compreendemos o que significa mas para qual não existe uma tradução, uma palavra correspondente em nosso idioma. Às vezes é só assim e pronto. Sabemos que tem que ser mas não sabemos por quê.

Mais e mais pessoas se engajam em religiões, seitas, filosofias, retiros, partidos políticos, sociedades secretas, procuram psicólogos, embrenham-se em pesquisas intermináveis, devoram centenas de livros, fazem cursos e padecem em seu próprio mar de lama, tudo pela angústia de não saber todos os porquês da vida.

Talvez a grande questão seja apenas a busca mesmo. Encontrar ou não as respostas não é necessariamente o fim de tudo. A dúvida leva à necessidade e a necessidade ao movimento. Então a inconstância se faz primordial para que nosso mundo continue acontecendo.

Por quê?… Sei lá…