Febre

É essa febre agora… esse torpor estranho que desvia os sentidos fazendo com que não se possa perceber a precisão das coisas. Fica tudo meio aéreo e não se sabe se é real ou irreal, se é normal ou anormal. Uma fraqueza que vem não se sabe de onde e domina o corpo de modo inexorável retardando os movimentos, apagando os reflexos e minando as vontades.

A única coisa que faz sentido agora é desligar. Encostar em qualquer canto e lá ficar imóvel, entre a consciência, o sonho e o delírio, transpirando cada gota de insanidade para no momento seguinte voltar a si e perceber que apenas um minuto se passou e logo em seguida perder novamente o chão e flutuar pelo desconhecido entre a memória e o desejo, as preocupações e os anseios.

É apenas a respiração ofegante, o frio e a angústia. A boca seca, os olhos fundos e a cabeça latejante. A estranha sensação de ser uma criatura alienada do mundo, longe de seus fluxos normais, isolado em uma bolha mental que gravita em torno do nada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: