Pequenos Desgostos do Dia a Dia:

Posted in Momento Sr. Saraiva, Viagens on 31/01/2014 by Kilminster
Você vai abrir seu pacote de salgadinho e ele rasga inteiro, espalhando tudo pelo chão.
Você compra um toddynho e só depois percebe que veio sem canudo.
Tocando violão você se distrai levemente e a palheta cai lá dentro.
Você se ajeita confortavelmente no sofá, vai ligar a TV e descobre que o controle remoto está láááá longe.
Vai pegar um copo de leite na geladeira e na caixinha só tinha meio copo.
Chega sua vez de passar a catraca do metrô e seu bilhete único está sem saldo.
Vai ao mercadinho do lado de casa comprar cerveja e percebe que só a Bavária está suficientemente gelada.

Palestra Vomitacional

Posted in Olhares on 10/01/2014 by Kilminster
É fácil e constante. Sempre tem um por aí. Seja no seu trabalho, em um encontro de sei lá o que, na internet, na TV. Sempre alguém consegue um vídeo ou coisa parecida com alguém dando dicas de como se motivar para a vida.
Ok, sabemos que todos precisamos de motivação para tudo e que a psicologia pode nos ajudar em vários momentos e que se alguém souber como despertar em você este sentimento, vai ser bom.
O problema é que a grande maioria desses “motivadores” são repetidores de clichês e apelam para emoções baratas e retórica de professor de cursinho.
Todos dizem que o lado pessoal da sua vida deve ser valorizado, porém é do lado profissional que falam a maior parte do tempo. Do quanto você deve se dedicar, o que você deve buscar, como deve fazer, como não desanimar diante de dificuldades e o principal, é tudo culpa sua.
Nepotismos, favorecimentos, puxadas de tapete, panelinhas, nada disso conta. É você e só. Se conseguiu foi seu esforço, se não conseguiu, faltou esforço. Fatores externos são na verdade desculpas.
Gostaria de ver uma palestra motivacional realmente relevante. No geral, ladainhas intermináveis para lavagem cerebral.

Posted in Uncategorized on 24/12/2013 by Kilminster

Bandas que Você Conhece e Nem Sabia

Posted in Sons with tags , , , , , on 21/11/2013 by Kilminster

Se você escuta rádio, certamente ouve várias e várias músicas que acaba nem guardando de quem é, simplesmente passa batido. Daí você lê o nome do artista ou banda sei lá onde e o sininho não toca, você acaba dizendo que não conhece. Mas não é bem assim, em alguns casos, você está diante de bandas com uma boa meia dúzia de sucessos e nem sabe, quer ver?

Eagles – Ok, você conhece “Hotel California” é claro. Mas certamente você já ouviu e talvez até saiba cantar uns pedacinhos de “Tequila Sunrise”, “Life in the Fast Lane” e “I Can’t Tell You Why”. O problema é que cada uma é cantada por um integrante, daí você nunca identifica a banda pela voz.

Hall & Oates – Esta dupla americana tem mais hits do que você pode supor! Responsáveis por um dos mais icônicos bigodes dos anos 80, emplacaram nas rádios “Private Eyes”, “I Can’t Go For That”, “One on One”, “Kiss on My List”, “Out of Touch” e “Maneater”.

Foreigner – Perdidos dentro do chamado rock arena dos anos 70/80, podem ser facilmente confundidos com várias bandas da época, mas conseguiram marcar território com power ballads lideradas pelo vocal agudo e potente de seu vocalista Lou Gramm. Veja se você não conhece “Cold as Ice”, “Hot Blooded”, “Waiting for a Girl Like You”, “I Don’t Want to Live Without You” e o megahit “I Want to Know What Love Is”.

Fazer o Fácil

Posted in Momento Sr. Saraiva on 12/11/2013 by Kilminster

Por que é tão difícil fazer o fácil?

Porque quando tudo parece óbvio e cristalino, quando está tudo pronto para se voar em céu de brigadeiro alguém precisa colocar um empecilho?

Não basta ter tudo resolvido e ir em frente?

É preciso levar sempre algum peso às costas?

Será que a facilidade em algum caminho faz menor o valor da caminhada?

Porque se uma estrada é a união entre dois pontos, porque não percorrê-la com tranqüilidade?

É preciso mesmo criar tempestades em dias ensolarados?

Ou a eterna insatisfação humana é que é o real motivo de orgulho?

iSala de Espera

Posted in Viagens with tags , , , , , , on 07/11/2013 by Kilminster
A Richie Kilminster Corps. Solutions and Welfare trás para você mais um revolucionário serviço.
Você que não vive sem seu iPhone, você atrapalha todo mundo ao digitar no whatsapp enquanto anda, você que não larga o iPad, você que considera seu smartphone uma parte de seu corpo, você que chora quando não ganha vidas no Candy Crush não pode ficar fora dessa!
Estamos lançando exclusivamente para você a mais incrível e moderna iSala de Espera.
Ela conta com assentos confortáveis, som ambiente bem baixinho, (pra não atrapalhar seu fone), wi-fi e relógio de parede fazendo um interminável e ritmado tic-tac.
E o que você vai ficar esperando em nossa iSala de Espera?
Nada! Absolutamente nada. Por um preço módico você terá um lugar para usar seu gadget sem ter que pagar consulta e sem o inconveniente de um dentista, psicólogo, entrevistador de emprego ou proctologista interromper uma animada conversa no facebook ou até mesmo a exibição daquele viral do youtube.
Não se aborreça mais com estes inconvenientes, venha esperar conosco.
Decoração-para-Salas-de-Espera-FOTO-7

It’s Oh So Quiet

Posted in Olhares with tags , , on 01/11/2013 by Kilminster
Mais uma vez ficou este pequeno espaço maltratado e legado ao abandono…
Daí me pergunto “Por que? Por que?”.
Simples, porque quando não se tem o que dizer, é melhor calar a boca. Afinal de contas eu vivo repetindo que em boca fechada não entra mosquito.
Também tem outra, às vezes a gente pensa, pensa, pensa e não consegue ver um meio de colocar as coisas de modo simples e inteligível, então pra que desperdiçar linhas e linhas para que ninguém consiga entender.
Envolver-se em polêmicas fáceis pode trazer mais encheção de saco do que conforto por expressar idéias.
Então tem horas que o silêncio vale mais.

Atlas

Posted in Olhares with tags , , on 08/10/2013 by Kilminster
Atlas, o Titã, segurava o mundo nas costas. Suportava-lhe todo o peso e garantia que os céus não caíssem sobre a Terra.
Após a Titanomaquia foi esta sua punição, imposta por Zeus. Garantia a existência do mundo conhecido eAtlas_Schloss_Linderhof toda a vida nele contida.
Assim foi por toda a eternidade até que o reino dos deuses se recolhesse ao reino das lendas. Apenas por poucos momentos o herói Heracles aliviou de seus ombros o peso de seu fardo.
Tal qual Atlas vivemos. Cada qual com seu mundo sobre os ombros. Bem sabemos que não podemos largar sob pena de que ele nos caia sobre a cabeça.
Não temos Heracles para nos aliviar. Cabe-nos, portanto, a árdua tarefa de arrumar forças para manter erguido o firmamento.
O peso do mundo nos curva as costas, arde os músculos e fadiga a alma, mas não há alternativa. Resta a força, a luta e a superação.

A Velha MTV

Posted in Olhares with tags on 01/10/2013 by Kilminster
Já era a velha MTV Brasil. Talvez tenha durado até mais do que deveria, tendo em vista as grandes mudanças pelas quais passou, em especial a partir dos anos 2000.
A internet e principalmente a chegada da banda larga no Brasil, que permitiu assistir a vídeos online com tranqüilidade, fizeram com que a emissora desviasse seu foco da música para a cultura jovem como um todo, por vezes beirando o popularesco. A partir daí nada mais foi o mesmo. E nem poderia ser.
Pra quem nasceu no meio da década de 90 e não sabe o que é o mundo sem o youtube, não faz idéia do que era ter uma emissora que passava videoclipes e que falava só de música o tempo todo.
Antes disso, era apenas um programazinho de clipes aqui, outro ali… Um Clip Trip ou Kliptonita… coisas assim. O Som Pop da Cultura já era um oásis.
De repente aparece a MTV, passando clipes de bandas que a gente nem sonhava em ver, clipes diferentes de bandas que conhecíamos. Era como se a janela do mundo fosse aberta bem na nossa frente.
E tome colocar araminho torcido aqui e ali para sintonizar mal e porcamente o canal 32UHF, porque é verdade, já vivemos sem TV a Cabo.
Linguagem jovem, vinhetas esquisitas, VJs com quem a gente se identificava, programas para todos os gostos, cobertura de shows, entrevistas, programas gringos… Finalmente a gente fazia parte do mundo.
Com o passar do tempo, passamos a ter acesso a tais coisas de outra forma, o que obrigou a emissora a partir para outras atrações, humor, reality shows e versões horrorosas do velho Namoro na TV do Sílvio Santos.
Enfim, passou o tempo e lá se vai a velha MTV. Não existe hoje espaço para o que ela um dia foi e não sei se alguma coisa causaria tal impacto. Digo hoje, talvez com alguns anos de atraso, descanse em paz.

Dormindo na Fila

Posted in Olhares, Viagens with tags , on 18/09/2013 by Kilminster

É só aparecer um show internacional em qualquer lugar que já começamos a ver pipocar matérias sobre gente que acampa na porta do local com sei lá quantos dias de antecedência.

Fico me perguntando qual a eficácia desta prática. Isso porque com minha larga experiência em shows de rock, sejam eles de grandes estádios até de casas menores, sempre fiquei nas primeiras filas quando quis, e não era de chegar horas e horas antes da abertura dos portões, que dirá dias!

A verdade é que quando as luzes apagam e o show começa, polidez e boas maneiras são deixadas de lado. Vale a lei do mais forte, ou daquele que consegue se enfiar nos mais ínfimos espaços.

Todo mundo que quer chegar mais perto empurra, aperta, se aproveita de qualquer vacilo para ganhar umas posições à frente.

E quer saber o que é pior, os empurradores dormiram em suas casas, fizeram uma bela refeição antes de ir para o show e quando chegam lá estão cheios de energia e disposição, enquanto aquele cidadão que dormiu dias a fio em uma barraca precária, na rua, sem banheiro decente, sem banho, comendo ruffles com coca-cola, estará um bagaço.

Fica óbvio quem levará vantagem em um empurra-empurra.

Isso sem falar que o cansaço do acampamento poderá gerar desmaios, quedas de pressão e outras indisposições que acometem pessoas no meio do bololô da grade.

Daí eu me pergunto… Por quê? Por que?

trouxas

 

 

Atualização 23/09/2012: Tô falando… http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2013/09/fas-de-justin-bieber-ja-fazem-fila-no-rio-para-show-em-novembro.html